Curiúva, Imbaú, Ortigueira, Sapopema, Telêmaco Borba, Tibagi e Ventania irão participar do Pingo D`Água graças ao apoio da KLABIN.

A exemplo do que faz deste 2001 a KLABIN mais uma vez renova o patrocínio ao Projeto de Educação Ambiental Pingo D´Água. Este apoio demonstra responsabilidade ambiental da empresa e sua confiança no trabalho desenvolvido pelo COPATI. A cada ano a parceria KLABIN/COPATI se fortalece garantindo condições para que o COPATI dê continuidade a sua missão de ajudar na preservação ambiental da Bacia do Rio Tibagi. Além do Pingo D`Água - que neste ano vai beneficiar 3.850 alunos e 292 professores nestes oito municípios – a Klabin e o COPATI comemoram em 2016 27 anos da parceria que resultou na Pesquisa sobre a fauna e a flora da Bacia realizada em conjunto com a UEL. Em nome da Bacia do Rio Tibagi nosso Muito Obrigado a Klabin.

 

 

PALESTRA - COM O TEMA “CIDADE SUSTENTÁVEL, UM PINGO D’ÁGUA FAZ TODA A DIFERENÇA”.

         abril 2016

 

          O Presidente do Comitê da Bacia do Rio Tibagi, professor-doutor da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Galdino Andrade Filho proferiu a palestra, enfatizando a importância socioeconômica e ambiental da Bacia.

          Ele também anunciou que a Bacia do Rio Tibagi terá classificação classe 1, classe 2 e pequenos trechos em classe 3 – que juntos somarão cerca de 7% de toda a bacia. Com esta nova reclassificação dentro da Resolução do Conama 357/2005, a Bacia do Rio Tibagi terá uma água considerada de qualidade para uso de lazer e, principalmente, para consumo humano.

A decisão foi tomada um dia antes do encontro do Copati, durante reunião do Comitê em Castro.

A discussão sobre a possibilidade de reclassificação do Rio Tibagi teve início no primeiro semestre de 2015, durante reunião do CBHT em Londrina. Nela, o objetivo era classificar o rio para classe 4, mascarado de subclasses 4ª, 4B e 4C, permitindo desta forma que recebesse todo tipo de carga de efluentes, tornando-o praticamente morto, idêntico ao Rio Tietê que corta a cidade de São Paulo (SP).

Segundo Galdino Andrade, pouco mais de 90% dos cursos d’água do Rio Tibagi deverão ser readequados à classe 2. “O restante será classe 3. São alguns trechos após o lançamento de tratamento de esgoto por conta da ineficiência e baixa diluição do esgoto lançado à natureza”, explicou.

Galdino comemorou o resultado, salientando que, no caso de Londrina, por exemplo, ribeirões como o Quati e o Lindoia, que recebem dejetos de esgoto, serão reclassificados como classe 3. “Isso significa muito, pois teremos o retorno de peixes, de qualidade da água, de uso para lazer e recreação. O rio virá com boa qualidade de água, não estando morto para a comunidade e meio ambiente”, salientou.

 

EM DEFESA DO TIBAGI – À época dos debates, o Deputado Federal Marcelo realizou um pronunciamento enfático na Câmara dos Deputados na defesa da manutenção do Rio Tibagi saudável e em condições de uso, além da defesa de recuperação das áreas já degradadas. Ele salientou, à época, que esta mudança de classe iria tornar um rio altamente saudável em um rio morto.

 Ele também encaminhou ofício para o Governador Beto Richa e para a diretoria da Sanepar, empresa de saneamento de água e esgoto – autora do pedido de reclassificação – para que mantivesse a Bacia do Rio Tibagi dentro das classes 2 e 3, garantindo a qualidade das águas e, consequentemente, da vida humana, animal e vegetal do seu entorno. Este pedido do deputado foi considerado um dos pontos que levou ao governo paranaense a voltar atrás na reclassificação do rio.

       

          RIO TIBAGI – A Bacia Hidrográfica do Rio Tibagi é considerada uma das mais importantes do Brasil pelos seus aspectos econômicos, físicos, biológicos e hidrológicos. A sua riqueza e a diversidade de espécies são comparáveis às de regiões tradicionalmente consideradas de alta biodiversidade como a Amazônia.

          O Rio Tibagi possui 550 quilômetros de extensão, enquanto que a bacia abrange 49 municípios e aproximadamente 1,9 milhão de habitantes. Ocupa 13% do território paranaense, ou seja, 25.239 quilômetros quadrados de área.

          A sua biodiversidade contempla 114 espécies diferentes de peixes, 475 de aves, 57 de mamíferos, 48 espécies de répteis, 600 espécies de árvores e um centro de convergência de espécies animais e vegetais para toda a América Latina.

 

ALUNOS RECEBEM PRÊMIOS PELAS MELHORES FOTOS DE 2015

Como forma de incentivar os alunos a terem um contato maior com o rio Tibagi e a refletirem sobre os seu hábitos como cidadãos, o COPATI promoveu mais uma vez o concurso de melhor foto do Projeto Pingo D`Água.

 

 

1º Lugar - Aluna: Ana Paula Antunes

Professora: Mariuza Pacheco dos Santos Paulino - Escola M. Professora Etelvina Arzua Costa - Telêmaco Borba/PR 

Título do projeto: “A Natureza Sob Meu Olhar”

1lugar-2015

 

 

 

2º Lugar - Aluna: Evelyn Beatriz Rosalino

Professora: Priscila Pedroso Godoy - Escola Municipal Doutora Maria H. H. Stauvinshi – Arapongas/PR

Título do projeto: “De Mãos Dadas com a Vida”

2lugar-2015

 

 

3º Lugar - Aluno: Jean Carlos Monteiro Miguel

Professora: Ivone Santina Alves - Escola M. Eufrosina Ribeiro da Silva - São Sebastião da Amoreira/ PR

Título do projeto: “Nascente Viva”

3lugar-2015

 

PREMIAÇÃO “MELHOR PROJETO 2015”

O Projeto que ganhou em primeiro lugar foi desenvolvido no município de Arapongas pela professora Priscila Pedroso Godoy da Escola Municipal Dra. Maria H. H. Stauvishi, com o titulo “Pérola Negra”. O segundo lugar ficou com a professora Noélia Conceição de Lima, da escola Municipal Professor Vicente Rodrigues Monteiro do Município de Jataizinho, com o projeto “Porque a Água Está se Tornando Escassa?”; e o terceiro lugar no ano de 2015 foi para Professora Josilaine Amâncio Corcóvia, da Escola Municicipal Vera Lucia Pansardi de Ibiporã, com projeto “Família e Escola – Juntos Contra a Dengue” – “Água Questão de Vida ou Morte”.

.

Cerca de 500 pessoas participaram do 13º Encontro de Educadores Ambientais da Bacia do Rio Tibagi

abril 2017

 

O COPATI promoveu no último dia 18 de março, em Londrina, o 13º Encontro de Educadores Ambientais da Bacia do Rio Tibagi. O evento contou com o apoio da Fundação Milton Campos, Pedreira Ica, Triunfo Econorte, Confepar, Cia Cacique, Cooperativa integrada, Dori Alimentos, Tamarana Tecnologia, DJ Moveis, HB Moveis Cia Iguaçu e Klabin.

 Cerca de 500 pessoas de 49 municípios que compõem a Bacia do Tibagi prestigiaram o evento, entre eles a presidente do Copati, Lucia Helena Batista Gratão, e o Deputado Federal Marcelo Belinati. Participaram profissionais da área de educação, empresários e representantes de empresas parceiras, estudantes, ambientalistas, políticos e pessoas interessados na temática do meio ambiente e da importância da recuperação e preservação do Rio Tibagi e seus afluentes.

A Presidente do COPATI, Lúcia Helena Gratão, salientou o papel do Copati e a sua luta pela defesa e conservação da Bacia do Rio Tibagi. Salientou, principalmente, o papel das empresas parceiras para que os projetos sejam levados a contento em cada um dos municípios participantes.

Você está aqui: Home Notícias